Diga NÃO à palmada! Em vez de bater…

1554594_645950755489470_1697029775874205883_nAndam circulando por aí argumentos que denotam medo e preocupação de alguns pais em relação à Lei Menino Bernardo: ‘se não posso dar palmadas, como vou educar meu filho?’

Na verdade, palmadas não educam. E os maiores limites que elas impõem são o do medo, da falta de confiança (em si mesmo e nos outros) e das limitações crônicas (físicas e/ou emocionais) que o indivíduo pode carregar vida afora.

Educar sem bater não apenas é possível como altamente recomendável (pesquise “estudos científicos” sobre o assunto disponíveis nesta Página).

Assumir a responsabilidade como pais e educadores, e não usar de castigos, confere liderança (mais do que autoridade) em relação aos nossos filhos.

Disciplina severa produz conformidade baseada no medo, que não é tão duradoura como a cooperação voluntária com base no afeto.

No final das contas, o melhor que podemos fazer é preservar o relacionamento próximo e saudável com os nossos filhos até a idade adulta e, para isso, nada como orientar corretamente durante a infância. Uma boa maneira de atingir este objetivo é por meio do incentivo à cooperação, em vez de bater ou castigar.

Basta dizer “não” à palmada para começar a descobrir infinitas possibilidades de educar com amor.

Leia mais:
http://migre.me/jHKlq

#crescersemviolencia

Anúncios
Esse post foi publicado em Disciplina positiva /gentil, Textos traduzidos e marcado , , , . Guardar link permanente.