Como ensinar limites sem punir? Andréa Mascarenhas

1560481_642353559182523_6508620793692669833_nComo ensinar limites sem punir? Encontre esta e outras respostas neste texto maravilhoso, sensível e elucidativo, repleto de exemplos comuns do dia a dia; que nos mostra que é possível ensinar muito mais às crianças através do “sim”, do respeito, do cuidado e da interação amorosa cotidiana entre pais e filhos.

“Muitos pais e mães, ainda que tão afetuosos, temem que seus filhos fiquem “malcriados” e, assim, deixam de dar-lhes acolhimento, em situações de conflito; evitam qualquer conexão amorosa com eles, por medo de estarem oferecendo excesso de afeto, de contato físico e de interação. Na “hora de dar limites” abrem a carranca, fecham os braços, negam contato.

Qual seria a “hora de dar limites”, na concepção de muitos pais? A hora da repreensão? Seria a hora do ‘não’? A hora de apontar alguma necessária consequência?

Há pais que separam a relação com os filhos em dois grandes momentos: Momento da interação amorosa x Momento do limite.

(…)“dar limites” não tem, necessariamente, relação com algo negativo? Quando eu digo “Sim, eu lhe ajudo a recolher os brinquedos.”, estou lhe ensinando a não fazer descaso das pessoas em suas necessidades, não é? Quando eu digo “Sim, você pode apanhar os brinquedos assim que estiver com mais disposição.”, eu estou dizendo ‘não’ ao desrespeito, à falta de sensibilidade, confere? Então, quando eu ensino respeito e solidariedade eu estou apontando limites, certo? Enfim, se fôssemos analisar mais a fundo o exemplo citado acima, certamente encontraríamos outras grandes oportunidades de aprendizado.

Retomando a nossa reflexão, podemos compreender que ajudar a criança a estabelecer seus limites é algo muito mais amplo. Podemos perceber que não há um momento específico para a construção de limites.

(…)E não há “linhas demarcadas” e “fim de linha” na construção de estratégias para formar os limites. Não há o “momento do limite”; há a interação constante, as oportunidades que nós, adultos, precisamos aproveitar. Aliás, não há limites e nem regras para ensinar limites…”

Andréa Cristina Mascarenhas Nascimento dos Santos

Leiam o texto na íntegra, aqui:

http://maosefilhos.blogspot.com.br/2014/05/limites-sem-regras.html

#crescersemviolencia

Anúncios
Esse post foi publicado em Disciplina positiva /gentil e marcado , , , . Guardar link permanente.