Dicas de como encorajar bom comportamento

1526447_573354492749097_1128974172_nFoto: Cacá Dominiquini 
Cacá Dominiquini Fotografias Grupo Vínculo 

Dicas de como encorajar bom comportamento e cessar explosões de emoções (birras) (para crianças de 2-8 anos)

Controlando suas emoções

A maior parte das birras é decorrente da inabilidade da criança de controlar suas próprias emoções.

Cedo ou tarde, seu filho vai apresentar um episódio de explosão de emoções (ou, no popular, birras). Abaixo algumas dicas para lidar com essas situações:

Lidando com as birras e explosões emocionais

Não importa o quão cuidadoso você seja em reconhecer as causas das birras, seu filho as fará cedo ou tarde. Para lidar com isso, seja flexível e pratique algumas das soluções que parecem dar melhor resultado.

Cansaço, fome, tédio, frustração e outras causas podem provocar birras, mas a boa notícia é que isso pode ser evitado ou modificado. Quando seu filho tiver uma explosão emocional, tente determinar a causa. Resolva o problema e provavelmente terá sua doce criança de volta.

Ofereça opções

Talvez seja possível evitar o problema oferecendo ao seu filho um pouco mais de opções em sua vida. Ao invés de dizer: “Agora é hora de dormir” (o que pode provocar frustração e uma birra), ofereça uma escolha: “O que você gostaria de fazer antes, por seus pijamas ou escovar os dentes?” Crianças que estão ocupadas tomando decisões geralmente estão felizes.

Faça contato olho-no-olho

Quando você faz um pedido à distância, pode ser que seu filho te ignore. Isso cria estresse, reclamações, e como resultado, talvez, birras – de ambos: suas e dele. Ao invés disso, então, abaixe-se e fique no mesmo nível que seu filho, olhe em seu olho, e faça pedidos claros e curtos. Assim ele certamente terá sua total atenção.

Diga-lhe o que você QUER (não o que não quer)

Ao invés de focar no mau comportamento e no que você não gostaria que seu filho fizesse, explique-lhe exatamente o que você gostaria que ele fizesse ao invés. Ofereça-lhe instruções claras e simples do que fazer.

Valide seus sentimentos

Ajude seu filho a identificar e entender suas emoções. Nomeie seus sentimentos: “Você está triste. Você queria ficar aqui brincando, eu sei.” Isso não significa que você vai desistir de ir à escola e vai ficar em casa brincando, mas sim que você está mostrando empatia, mostrando que entende seus sentimentos, seus problemas. E isso pode ser suficiente para acalmá-lo.

Ensine a técnica do coelhinho tranquilo

Quando seu filho ficar super estimulado, seus sintomas fisiológicos o mantém no estado de agitação. Você pode ensinar seu filho a relaxar e usar essa técnica de relaxamento sempre que a agitação começar.

Você pode fazer pela manhã ou no final do dia uma sessão breve de relaxamento. Peça para seu filho se sentar ou deitar confortavelmente com os olhos fechados. Diga-lhe que ele é um coelhinho tranquilo. Nomeie as partes de seu corpo (pés, pernas, barriga etc.) e peça para que ele as balance, e então as relaxe.

Conforme seu filho se familiarizar com o processo, você pode sugerir fazer a técnica do coelhinho tranquilo toda vez que ele ficar muito agitado. Abaixe-se ao nível de seus olhos, toque seus ombros, olhe em seus olhos e lhe diga ‘Vamos fazer o coelhinho tranquilo’. E então ajude-o a realizar o processo. Conforme a prática, somente a menção da técnica e fechar os olhos pode já ser suficiente para trazer relaxamento.

Distraia e envolva

Crianças se distraem facilmente quando uma nova atividade é sugerida. Se seu filho está agitado, chorando, super estimulado, tente sugerir uma outra atividade.

Sugira o uso de imaginação

Se a criança está nervosa ou brava com alguma coisa, pode ajudar vocalizar a fantasia do que se deseja. ‘Aposto que você desejaria poder comprar todos os brinquedos dessa loja’. Isso pode se transformar num jogo divertido.

Previna sempre que puder

Revise o comportamento desejado antes de sair de casa, ou no momento de entrar em algum lugar público, ou ainda, antes de ir à casa de amiguinhos. Essa conversa poderá prevenir uma birra. Faça sempre comentários positivos (diga o que quer, não o que não quer), seja específico.

Quando acabou, acabou!

Após um episódio de mau comportamento terminar, esqueça e continue a vida. Não fique dando lições e privando atenção, afeto ou companhia. Crianças voltam ao normal rapidamente, e tudo bem se você voltar também. 

Esse é um trecho do livro ‘Soluções para noites sem choro’, de Elizabeth Pantley

Fonte: http://www.pantley.com/elizabeth/advice/0071471596.php?nid=403

Tradução: Andréia Mortensen

Revisão: Andréa Mascarenhas

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Elisabeth Pantley, Textos traduzidos. Bookmark o link permanente.