Bater em crianças diminui seu desenvolvimento cognitivo e aumenta riscos de comportamentos criminais

1461031_561300647287815_1370575362_n

 Fonte: http://www.sciencedaily.com/releases/2013/12/131211103958.htm

Tradução: Andréia C. K. Mortensen

Dr. MurrayStraus, fundador e co-diretor do ‘Laboratório de Pesquisa da Família’, e professor emérito de sociologia da Universidade de New Hampshire, acaba de lançar um livro intitulado ‘The Primordial Violence” (A Violência Primordial, editora Routledge, 2013).

Esse livro reúne mais de quatro décadas de pesquisas científicas sobre castigos corporais, com conclusões importantes e definitivas. Entre elas, a descoberta de que castigos corporais (incluindo palmadas) diminuem o desenvolvimento cognitivo e aumentam a chance de desenvolvimento de comportamento anti-social e criminoso.

O livro discute que os motivos mais comuns que os pais usam para bater em quem amam vão além de corrigir comportamentos. O livro mostra evidências dos efeitos das palmadas em crianças, e o que pode ser feito para acabar com essa prática. O livro contém dados longitudinais de mais de 7 mil famílias americanas bem como resultados de estudos em outros 32 países que representam as pesquisas mais atuais na extensão do uso de palmadas em diferentes culturas e os resultados produzidos nas crianças e na sociedade em geral.

“As pesquisas mostram que a palmada corrige mal-comportamento a curto prazo. Mas também mostram que as palmadas não funcionam melhor que outros tipos de disciplina. Além disso, as pesquisas mostram claramente que os ‘ganhos’ das palmadas custam muito caro. Os castigos físicos diminuem o vínculo entre a criança e seus pais e aumentam a probabilidade da criança vir a agredir outras crianças e seus próprios pais, e, quando adultos, agredir seu companheiro. As palmadas também diminuem o desenvolvimento mental das crianças.

Mais de 100 estudos mostram em detalhe esses efeitos das palmadas, com mais de 90% de concordância entre eles. Provavelmente não hé NENHUM outro aspecto na educação onde os resultados são tão consistentes” diz Dr. Straus.

Entre os co-autores temos Dra. Emily Douglas, Professora Associada de Trabalhos Sociais na Universidade do Estado de Bridgewater, e Dra. Rose Anne Medeiros, especialista em metodologia quantitativa na Universidade Rice. Ambas argumentam que é preciso mudar a legislação para que o uso de castigos corporais sejam completamente abolidos. Elas sugerem anúncios públicos como “Nunca batam em crianças”, um aviso de saúde pública que viria junto com as certidões de nascimento, e ajuda e apoio aos pais que tem problemas com seus filhos. Legislações e implicações práticas são discutidas nos capítulos do livro “ThePrimordial Violence”, como:

• Os benefícios de nunca bater, como melhor desenvolvimento de habilidades sociais e desempenho acadêmico.

• A conexão entre palmadas e problemas de comportamentos e criminalidade.

• Uma discussão dos motivos que a maioria dos pais continuam a dar palmadas, mesmo com um número absolutamente alto de concordância entre muitos estudos que descobriram efeitos potencialmente maléficos das palmadas.

Dr. Straus tem uma sugestão para esse Natal e Ano Novo:

“Se você está querendo dar aos seus filhos um presente que irá aumentar suas chances de ter uma vida feliz e saudável, um emprego e um relacionamento não violento no futuro com um companheiro/a, as evidências científicas apresentadas nesse livro mostram que você deve prometê-los NUNCA mais bater neles. Melhor 

 

ainda, diga-lhes essa promessa. É provável que isso aumentará o respeito e amor entre vocês, e eles o ajudarão a manter a promessa.”

Dr. Straus completa: “Mais de 30 nações agora proíbem que pais usem castigos corporais em seus filhos. Há um consenso emergente de que esse é um direito humano fundamental das crianças. A ONU pede que todos os países implementem a proibição de palmadas. A extinção das palmadas não somente reduzirá o risco de delinquência e problemas mentais, como também levará o direito às crianças de serem educadas sem serem agredidas em nome de disciplina, do mesmo modo que mulheres ganharam esse direito humano um século e meio atrás.”

Dr. Straus pesquisa o tema palmadas desde 1969, e é considerado mundialmente o pesquisador líder nesse assunto. Ele recebeu inúmeros prêmios e honras por suas pesquisas, como o ‘Life Fellow of the International Society for Research in Aggression(Pesquisador honorário da Sociedade Internacional de Pesquisa em Agressão) e da American Association for the Advancement of Science (Associação Americana paraAvanço da Ciência).

 Dr. Straus foi presidente de várias sociedades científicas ‘National Council on FamilyRelations’ e é conselheiro do National Institutes of Health (Instituto Nacionalde Saúde Americana) e da National Science Foundation (Fundação Nacional daCiência Americana). Ele é autor e co-autor de mais de 200 manuscritos científicos (peer reviewed) e 15 livros, incluindo “Beating the Devil Out of Them: Corporal Punishment In American Families and Its Effects OnChildren” (segunda edição, Transaction, 2001). 

 Grande parte de suas pesquisas sobre palmadas podem ser baixadas em http://pubpages.unh.edu/~mas2.

Anúncios
Esse post foi publicado em Dr. Straus, Textos traduzidos. Bookmark o link permanente.